Colunistas
Nelson Egon Geiger
Por Nelson Egon Geiger
Advogado

GHANDI E EINSTEN ENSINADO SEUS MESTRES

Publicado: 10/02/2021 às 16:36 | Fonte: Nelson Egon Geiger

“Homens que, quando alunos, deram lições aos seus mestres”.

Quase contemporâneos. Os dois nascidos no século XIX e proeminentes figuras do século XX. Mahatma Ghandi, indiano nascido em 1869; Albert Einsten, alemão, nascido dez anos depois. O 1º ainda adolescente foi para a Inglaterra que colonizava sua pátria, para estudar direito. O 2º esteve no seu País natal até que conseguiu ir para os Estados Unidos preocupado com possível perseguição na Alemanha.

Quando Ghandi estudava na Inglaterra tinha um professor que não gostava dele; como indiano achava-o de raça inferior.. Encontrando-se no refeitório da faculdade na mesma mesa o professor disse: “Sr. Ghandi sabia que porcos e pássaros não comem juntos”. Ghandi respondeu “não sabia mestre então já vou sair voando daqui”. O professor em aula apresentou a seguinte situação: “se o aluno encontrar duas bolsas, uma contendo sabedoria e outra dinheiro, qual pegaria aluno Ghandi”? Este respondeu que ficaria com a do dinheiro. O professor provocativo retrucou “há eu pegaria a que contem sabedoria”. E Ghandi, enfático: “cada um pega o que precisa”. Por fim, em uma prova o mestre entregou o papel para cada aluno e no de Ghandi escreveu: “idiota”. Ghandi não se deu por perdido: “professor o senhor assinou a prova, mas, esqueceu de colocar a nota”, devolvendo a folha para o mestre.

Pois não foi diferente com Einsten. O professor, ateu, querendo demonstrar que se deu criou tudo que existe, também criou o mal. Então Einsten aparteou e pediu para fazer uma pergunta. Anuído “Professor o frio existe”? Lógico disse o professor “ou o senhor nunca sentiu frio”? Einsten esclareceu, “professor segundo as leis da física, o que existe é ausência de calor, mas o frio não existe nós criamos essa definição para a falta de calor”. E perguntou ao professor: “Mestre existe a escuridão”? Ante a resposta positiva do professor, Einsten lhe ensinou: “novamente comete um erro senhor, a escuridão não existe; na realidade é a ausência de luz”. E por último o aluno Einsten perguntou: “Senhor o mal existe”? E o referido mestre respondeu: “Claro que sim, como disse desde o início, vemos todos tipos de crimes, coisas do mal, que Deus criou”. E outra vez o aluno se superou: “o mal não existe, senhor, por si mesmo; o mal é simplesmente a ausência do bem”. “Deus não criou o mal; não é como fé ou amor, que existem como existe o calor e a luz”. E concluiu: “o mal é resultado da humanidade; não de Deus”.

Ghandi foi assassinado em 1948, quando lutava, pacificamente, pela libertação da Índia da custódia inglesa; em resumo pela volta à autonomia de seu país que passara a ser colonizado pela Inglaterra.

Einsten que foi aos Estados Unidos em 1932 não mais regressou para sua pátria com o advento do nazismo em 1933.

Na América do norte faleceu em 1955, deixando uma fabulosa contribuição para a ciência e para o entendimento do Universo na sua concepção atual através da teoria da relatividade.  Ambos quando foram alunos culminaram em dar lições para seus mestres.

EDIÇÃO de 10 de fevereiro de 2021.___