Colunistas

O “GPS” DE ALOISIO CARPER

20/01/2021 - 10h:20min
Nelson Egon Geiger

Por questões familiares tivemos de viajar para o litoral norte do Estado. Chegando à cidade precisávamos ir até o local. Pelo celular perguntamos o endereço; informado a questão era como chegar lá. A resposta da Nicoly veio rápida: coloca no GPS.

Rápido, dobrando à esquerda, ora à direita, chegamos. Que maravilha. O GPS nos apontou a distância e o caminho. Aliás, hoje serve para tudo. Quando trabalhava no Banco do Brasil em casos de precisar medir a lavoura: “chama o agrimensor”. Com trena e um auxiliar ele o fazia. Ações de Usucapião não eram diferentes. No escritório eu até indicava: “fala com o Vilmar que é agrimensor e ele faz a medição”. Hoje se usa GPS.

O Sistema de Posicionamento Global,“sistem” (em inglês claro) utiliza uma rede de satélites e proporciona o serviço. Orienta; estabelece; aponta o resultado. Pois exatamente naquela mesma tarde recebi um telefonema do Aloísio: “estás no escritório; tenho um presente para ti”. Lamentei estar longo e que voltava na segunda-feira seguinte.

Surpresa, o presente era um livro. O grande amigo Aloísio Carper nos ensina através do seu entendimento da espécie no belíssimo: “FUNÇÃO GPS – Gerando Pensamentos de Sucesso”, recém publicado.

Colega de Banco, embora de uma geração bem depois, porquanto labora na atualidade e eu já estou aposentado há tempos, admirável amigo e grande irmão de fé. Nos primeiros cultos que assisti na Comunidade encontrei o Aloísio demonstrando outro lado de sua habilidade artística. Além do violão tocou gaita de boca na execução de um louvor.

Recebido o livro, com uma bela dedicatória, passei a lê-lo com avidez. Singelas histórias da vida que ele ouviu e assistiu foram traduzidas para ensinamentos lúcidos, objetivos, humanos e cristãos para geração de nossos pensamentos de sucesso e de comportamento objetivando nos incentivar para ajudar os outros. Afinal somos todos irmãos. E como tal devemos nos comportar ao longo da vida.

Não agir como o motorista de caminhão ansioso e estressado a que ele alude, pois, os “problemas como as tempestades passam”. O mau exemplo fica. A angústia nos preocupa. Agir com honra e ética é nossa obrigação. Devemos agir para pensamentos de sucesso e de alegria.

Aloísio além de funcionário do Banco do Brasil é bacharel em ciências humanas e teologia; e excelente musico. De quem a gente fica honrado em ser amigo. Meu grande abraço pelo ingresso na carreira das letras. Afinal o escritor sempre é alguém sensível.

deixe seu comentário