Colunistas
Nelson Egon Geiger
Por Nelson Egon Geiger
Advogado

A ENGANOSA ESQUERDA E O IBOPE

Publicado: 07/12/2020 às 10:03 | Fonte: Nelson Egon Geiger

O IBOPE pretendeu dar explicação e pediu desculpa pelo erro. Falou em dificuldades de aferição da pesquisa. A lançada na véspera do 2º Turno, em Porto Alegre, dando vantagem para a candidata do PC do B / PT, Manuela D’Avila, emrelação ao candidato MDB / DEM, Sebastião Mello.

No sábado, véspera do pleito, apontar para a candidata 51% contra 49% do vencedor, quando o resultado final foi Sebastião 54,58% contra 45,42%, não se pode admitir como dificuldades de aferição de preferência. Foi erro grosseiro. Que poderia levar eleitores em dúvida para favorecer aquela supostamente na frente. Derrotada com diferença de 9,16%, quando o IBOPE apontava 2% ao contrário, o erro foi de 11%.

A candidata tentou no 2º Turno colocar roupagem nova na esquerda esquizofrênica. Tirou de sua propaganda a foice e o martelo cruzados, símbolo internacional do comunismo. Ideologia arcaica que quer escravizar o povo e o dividír em facções de minorias para que estas briguem entre si e esqueçam o governo. Enquanto esse domina, usa e abusa do erário público em escandalosa corrupção administrativa; suprime outras siglas partidárias. Até mesmo institui o partido único. E usa o exército em seu favor.

O que fez a Stalin no tempo da URSS; a China de Mao; a Albânia de Enver Hoxá. Continuam fazendo Cuba dos Irmãos Castro; Venezuela de Nicolas Maduro; e a Coréia do Norte, do folclórico Kim Jong-um.

Assim tentando enganar o eleitorado, os marqueteiros da campanha da candidata comunista mudaram a roupa. Para, com nova vestimenta disfarçar as idéias retrógadas, ditatoriais, estatizantes e ilusionistas dela, seu partido e o famigerado PT coadjuvante. Além de não colocar à vista a “foice e o martelo” símbolo máximo do tirânico comunismo, também não tiraram a cor vermelha de suas propagandas. Sabendo que essa é a estampa do corrupto e não menos comunista PT.

Mas o “markting” da campanha ilusionista foi mais longe. Tentou mudar a aparência da candidata em suas manifestações. Não mencionava o radicalismo da educação pública aos jovens. Contrário fazia referência de aprimorar o ensino público. Omitindo o que na sua ideologia se sabe como procede. Falava em não privatizar empresas públicas do município. Mas deixava de dizer que a idéia central é estatizar. Para que o eleitor não se dar conta disso. Pois no fundo o eleitorado sabe que o governo é mau patrão.

Os dirigentes da campanha não entendem que o povo sabe o que quer. O povo repulsa ideologias comunistas. Não adiantou a nova roupagem. Como fez o antigo PCB; mudou para PPS; agora se chama Cidadania. Mas, continua o mesmo partido comunista. É possível que no futuro o PC do B e a sua adepta derrotada, também mudem a sigla e o símbolo. Mas o comunismo continuará o mesmo. E dele os eleitores não querem saber.

EDIÇÃO DE 02 de dezembro de 2020.___