Colunistas

Claudio Osmã – O último adeus

18/10/2020 - 08h:32min
Nelson Egon Geiger

‘GIANT” é o título original de um filme excepcional:: “Assim Caminha a Humanidade”.. Lançado em 10 de outubro de 1956, e estrelado por Rock Hudson, Elizabeth Taylor e, James Dean. Esse que figurou apenas em 3 películas e até hoje é ídolo de parte da juventude.

O personagem (Rock) era homem simples, educado, atuante, que por seus atos foi considerado um “verdadeiro gigante” pela família e amigos.

Com surpresa na terça feira (13) pela manhã soube do falecimento do grande amigo, colega e correligionário Claudio Osmã Crochi da Silva, via contato da Clic Radio que me perguntava detalhes do fato e de cargos que, durante sua preciosa existência o “Claudinho” ocupou em nossa Camaquã. Do fato não sabia; dos cargos informei o que lembrava na hora.

De imediato pensei: o que resta fazer, além de lamentar é registrar a grande personalidade e dedicação comunitária do amigo? Daí a lembrança do filme acima citado, antes de lhe dar o último adeus. Pois, como aquele personagem, Claudio Osmã foi um gigante em sua vida camaqüense.

Quando ele e a sua família aportaram em Camaquã, sendo natural de Arroio Grande tinha sido aprovado em concurso do Banco do Brasil, iniciando em outra cidade. Depois, conseguido transferir-se para cá. Com a esposa, também amiga “Tudinha” e os dois pequenos. O Dr. Tiago Camerini da Silva e a menina, que hoje reside na Itália, eram crianças. De imediato o Claudio se enturmou. Logo passou a freqüentar e ajudar nossa AABB. Quando dela Presidente, diversas vezes buscou (o que na época era possível) ajuda financeira na Direção do BB, incrementando a sede.

Aqui aprimorou seus estudos na Faculdade local. Dela depois foi integrante da Diretoria e Professor, cargo ocupado até seu passamento. De claras idéias políticas ingressou no PMDB, desde logo participando de campanhas e até da Direção partidária.

Com sua reconhecida capacidade, quando o Partido integrou, como coligado, o Governo José Cândido, foi Secretário Municipal. Também Secretário no Governo Molon. Chamado para participar da Fundação Hospitalar Nossa Senhora Aparecida, por anos foi Superintendente do HNSA. Em todos os cargos que ocupou o Claudinho sempre se destacou pela atividade incansável e eficiente. Como naquele filme, um verdadeiro “GIANT”. Deixando marcas, mas não máculas.

Impossibilitado de estar terça feira à noite, quando chegado seu corpo para Camaquã, pois pelo destino traçado por Deus, seu falecimento ocorreu em Santa Catarina, dediquei parte de meu comentário de quarta-feira no Clic Camaquã para falar do grande amigo. De quem fui colega por mais de 20 anos no BB; correligionário e admirador.

deixe seu comentário