Colunistas

TEMPESTADE EM COPO D ÁGUA

27/05/2020 - 15h:17min
Nelson Egon Geiger

Está sendo feita verdadeira tempestade em copo de água da reunião Ministerial que ocorreu em 22 de abril e Presidente Jair Bolsonaro. Exposto o vídeo da reunião por permissão de Ministro do STF, que não devia ser liberada, grande parte de políticos se aproveitarem do fato.

Quem? Primeiro uma representação criminal assinada pela Deputada Federal Gleisi Hoffmann e Presidente do PT. Logo ela que juntamente com o marido, Ex-Ministro dos Governos petistas Paulo Dagoberto respondem processo por corrupção durante o Governo Dilma. Também assinada pelo Governador da Bahia, Rui Cosa, do PT, mais Bancadas do PDT, PSB e PV. Fato que consta na ZH edição do dia 24 de maio, pág. 15. Depois o Gov. do Rio, Wilson Witzel que teve ontem a PF fazendo busca em sua casa.

Isso indignou o Ministro Chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Gen. Augusto Heleno. Ele tem toda razão ao afirmar que é “uma afronta ser exigido o telefone da autoridade máxima do Poder Executivo”. Mas exatamente aí que está toda “confusão”. O Ministro do STF a quem atribuem a ordem, não deu essa ordem. Simplesmente oficiou ao Procurador Geral para saber se quer requisitar o telefone.

E antes mesmo da manifestação do Procurador houve a citada representação de Gleisi e a turma citada. Então o Ministro do STF deixou ser divulgado o vídeo da reunião Ministerial do Executivo.

Ora, a Constituição Federal, em seu art. 2º, expressa: “São Poderes da União, independentes e harmônicos entre si, o Legislativo, o Executivo e o Judiciário” (o grifo é meu). Em resumo: não cabe a um Poder se imiscuir nos atos de outro Poder. Salvo aqueles estipulados na CF que tratam de processos que possam decorrer de algum ato ilegal praticado por ocupante de outro Poder. Daí, o Legislativo pode examinar processo de “impeachment” de membros dos Poderes. Inclusive do seu; do Executivo e do Judiciário.

Aquela famosa e desastrosa reunião não tem nada disso. Digo desastrosa porquanto houve palavras de baixo calão de parte do Presidente Bolsonaro, e manifestações infantis da Ministra Demares Alves, dos Direitos Humanose outras idiotas, do Ministro da Educação, Abraham Weintraub. Aquela falando em prender Governadores e Prefeitos; o último usando de palavras inadequadas ao se referir ao STF. Mas, afora “palavrões e idiotices” nada se vislumbra de crime. Pareciam “bobos da Corte”.

Mas, não apareceu nenhum crime. Simples “ilações” do então excelente Ministro Sérgio Moro, de cuja dignidade, honradez e polimento para falar nem se discute. Diferente dos outros que não tem polidez em suas manifestações. Então a Representação Criminal está desamparada. E a divulgação do vídeo não cabia ser autorizada. A indignação do General está correta. Mas essa bagunça que se criou deixa mal o nome do Brasil e seus Governantes no exterior. E a imprensa parcial da Rede Globo se aproveita.

EDIÇÃO de 27 de maio de 2020. 

deixe seu comentário