Colunistas

A frustração de Lula após ABC

20/11/2019 - 15h:43min
Nelson Egon Geiger

O comício, porque não pode ter outro nome, que LULA e sua gente, como Gleise Hoffmann, José Dirceu, Paulo Pimenta e outros realizaram no ABC, em São Paulo em um primeiro momento surpreendeu.

 

            Havia gente demais. Quer dizer aparentemente houve um espetáculo que parecia que LULA estava renascendo. Como o grande Getúlio Vargas, afastado pelos militares em 1945, no ano seguinte fundou o PSD (antigo) e depois o PTB (antigo). Apoiou Eurico Gaspar Dutra e o elegeu Presidente. Nesse período começou a viajar pelo Brasil. Voltou triunfante e se elegeu Presidente em 1950, de forma estrondosa.

 

Mas ele era Getúlio. Honesto, sério, culto, zeloso. Ouvia mais do que falava. Quando um assessor, Gregorio Fortunato, por sua conta própria quis proteger o chefe e atirou em Carlos Lacerda acertando o Major Vaz, da Aeronáutica, na Rua Toneleres, no Rio de Janeiro (até então Capital federal), Getúlio culminou se matando de vergonha.

 

            Ora, LULA não é nada disso. É desonesto segundo apurou a Justiça Federal do Paraná em dois processos nos quais ele foi condenado. Um pela compra disfarçada de um triplex em Guarujá; outro pelo mesmo motivo: um sítio em Atibaia. Envolvido com empreiteiras que tinham contratos com o Governo em seus mandatos e depois. Casos em que exerceu de sua influência passada sobre o Governo Dilma.

 

            Getúlio era popular; LULA populista. Getúlio carismático; LULA demagogo. Getúlio de grande cultura; LULA semi- alfabetizado. Getúlio sério; mais ouvia do que falava; LULA, falastrão que não houve ninguém. Getúlio morreu com os mesmos bens que tinha. Os filhos herdaram apenas o que ele deixou porque já detinha antes de ser Presidente. LULA tem filhos que enriqueceram sem que se saiba como, embora ele tenha subido à Presidência com parcos recursos.

 

            Getúlio se cercava de João Neves da Fontoura, Osvaldo Aranha, Tancredo Neves, João Goulart.  LULA de Gleise, Dirceu, Genoino, Palocci, Vaccari Neto e outros que, todos, respondem processos por corrupção passiva e ativa na LAVA JATO.

 

            Depois do “comício no ABC” LULA e sua “troupe” viram que no meio comum do povo já não empolgam mais. Andar, como Getúlio o fazia quando saia da Fazenda do ITÚ, em São Borja, para Porto Alegre ou Rio, entre o povo, LULA não conseguiu.

 

            É que, embora ele e seus seguidores extasiados pensem o contrário, o povo brasileiro não é mais bobo. Não é trouxa. Não é surdo e nem cego. Daí que ele pode, até mesmo, tentar concorrer (se fosse possível o que não é por quem está condenado por corrupção) por certo não se elegeria. Chegaria ao máximo em terceiro lugar. Como Jânio que depois quis ser, outra vez, Governador de São Paulo e Collor de Alagoas e não conseguiram.

deixe seu comentário