Colunistas
Eduardo Costa - Cotidiano
Por Eduardo Costa - Cotidiano
Jornalista - Diretor do Portal Clic Camaquã e da Clic Rádio

Abner Dillmann no PSDB! Ivo na Assembléia Legislativa?

Publicado: 24/08/2021 às 14:56

Abner Dillmann no PSDB! Ivo na Assembléia Legislativa?

O Prefeito Ivo de Lima Ferreira pode estar preparando terreno para a sua busca por uma cadeira na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul. Com as novas mudanças nos partidos aliados e de oposição, essa é a grande possibilidade debatida nos bastidores da política local e regional.

O que tem de concreto é que nesta sexta-feira (27), o vice-prefeito, Abner Dillmann, hoje do MDB, estará assinando ficha com o PSDB, partido de Ivo. Theyllor Araújo, Coordenador Político do Governo Ivo, também sai do MDB com destino ao PSDB.

Com essa mudança, Abner poderia assumir como prefeito municipal de Camaquã, caso Ivo se candidate a Deputado Estadual. E se for candidato, Ivo tem boas chances de ser um representante de Camaquã e da região no Legislativo Estadual. São muitos os motivos para isso, mas o quebra-cabeças que ele começa a montar é que poderá fazer ele lograr êxito nessa corrida eleitoral.

Além de Abner, Ivana de Paula, ex-vereadora ligada a causa animal, está de saída do PSD rumo ao PSDB. Em 2018, ela teve muitos votos como candidata a Deputada Federal, totalizando 4.002 votos. Um reforço para a possível candidatura de Ivo. Ubel Freitas Jr, que foi assessor da ex-vereadora Ivana também vai para o PSDB.

Edmundo Peter, ex-presidente do Sindicato Rural dos Trabalhadores Rurais de Camaquã, está de saída do PTB e indo para o partido de Ivo. Ele foi candidato a vereador em 2016 e ficou como o 21º candidato mais votado, com 539 votos. Otávio Moraes, atual presidente do Sindilojas Costa Doce, que tem influência no meio empresarial, também poderá ingressar no PSDB.

Ederson da Cunha Dias, o Ederson Padeiro, candidato à vereador em 2020 pelo Progressistas, partido de oposição ao Governo Ivo, também assina ficha com o PSDB na próxima sexta-feira. Ele foi uma das revelações no último pleito por fazer 445 votos. 

O que se debate nos bastidores é que existe a possibilidade de uma"debandada" de outros membros desses partidos, a partir destas novas configurações.