Colunistas

Vendas de veículos crescem 6,98% no acumulado até maio

05/06/2019 - 10h:21min
Mateus Lopes - Nissul Renault

A FENABRAVE/SINCODIV-RS avalia o desempenho das vendas de veículos no mês de maio e no acumulado de 2019 no Rio Grande do Sul.

De acordo com o levantamento realizado pelo Setor da Distribuição de Veículos (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros), o mês de maio apresentou queda de 0,23% em relação a abril, totalizando 16.672 unidades emplacadas, contra 16.710 no mês anterior. Na comparação entre os meses de maio 2019 e de 2018, quando foram licenciadas 14.845 unidades, o avanço foi de 12,34%.

No acumulado de janeiro a maio, a alta foi de 6,98%, considerando os emplacamentos de todos os segmentos, totalizando 77.550 unidades, contra 72.489 entre janeiro e maio de 2018.

 

Segmento de automóveis e Comerciais Leves

 

Os segmentos de automóveis e comerciais leves, somados, registraram crescimento de 0,60% em maio, na comparação com o mês anterior, somando 12.292 veículos emplacados, contra 12.219 em abril de 2019.

Se comparado com maio do ano passado, quando o mercado somou 11.235 unidades, o resultado aponta aumento de 9,45%. No acumulado dos cinco meses, esses segmentos cresceram 3,73%, com o total de 55.409 unidades neste ano, contra 54.381 no mesmo período de 2018.

Na avaliação do diretor geral da FENABRAVE e presidente do SINCODIV-RS, Fernando Esbroglio, em maio, o mercado não apresentou movimento significativo, para a liderança a economia estagnou em meio às incertezas na área política e à falta de ações governamentais para ajudar em uma reação de curto prazo principalmente, no quesito consumo das famílias. "Ao analisar o desempenho, em dias úteis, sendo 22 dias em maio, contra 21 dias em abril, mesmo assim, o mês de abril teve desempenho proporcionalmente melhor que maio se pensarmos no resultado das vendas por dia útil, em abril foram comercializados no Estado 669 unidades dia contra 641 em maio", explicou o Presidente da entidade, que atribuiu o desempenho de abril ao final da safra de verão.

deixe seu comentário