Colunistas

AÇÕES DO PLANO DE BACIA DO RIO CAMAQUÃ

06/03/2019 - 14h:29min
Renato Zenker - Meio Ambiente

O Plano de Bacia do Rio Camaquã foi elaborado há dois anos, tendo a aprovação da Plenária do Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfico do Rio Camaquã e do Conselho Estadual de Recursos Hídricos. Além dos estudos para o diagnóstico se incorporou o prognóstico e o plano de ações, para chegar na qualidade da água que deseja a população a partir da encontrada no diagnóstico. Este trabalho foi desenvolvido pela Empresa Gama Engenharia contratada pelo Governo do Estado

Para atingir os objetivos e as metas preconizadas no Plano de Bacia, temos uma longa caminhada e muito trabalho pela frente. Nas várias reuniões realizadas foram destacadas algumas atividades prioritárias que a plenária do Comitê Camaquã definiu como projetos pilotos, para desenvolver futuramente em outras frentes de atuações. Entre elas destacamos:

- Atender à necessidade da sub bacia do Arroio Velhaco, nela estão programadas a desativação de 10 represas, permanecendo apenas seis no leito do Arroio na extensão das proximidades da BR116 até a cidade de Arambaré. Os canais nesse caso serão ligados para atender toda as demandas de irrigação do arroz, no entanto está previsto a racionalização do uso da água para se obter o maior ganho em produção. Inclui-se ainda recuperação da mata ciliar e o desassoreamento do leito. Nessa atividade o Comitê conta com a colaboração dos produtores e as parcerias do DRH, da Promotoria de Camaquã, da Prefeitura de Arambaré e dos técnicos que dão assistência aos produtores.

- Recuperação e manutenção da biodiversidade do Bioma Mata Atlântica, com atuação nas áreas de interesse para os recursos hídricos como: nascentes, recargas e áreas degradadas. Para essa atividade o Comitê conta com a parceria das Prefeituras Municipais de Cristal, Camaquã, Amaral Ferrador, Canguçu e Encruzilhada do Sul, WWF Brasil, Tanac/Tanagro, SEMA e EMATER.

- Pagamentos por Serviços Ambientais (PSA), essa atividade será desenvolvida na Bacia do Arroio Maria Ulguim no Município de Camaquã, integrando 20 produtores. Nessa empreitada temos a parceria da Prefeitura de Camaquã através da SMMA e Secretaria Municipal de Agricultura, Promotoria de Camaquã, WWF Brasil, TANAC/TANAGRO, EMATER, Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Camaquã e AUD. Para esse propósito a SMMA já criou o Fundo do PSA e a Lei que definiu a Pagamento por Serviços Ambientais no Município de Camaquã.

- Plano Integrado de Conservação do Solo através de frentes de trabalho, para isso o Comitê está promovendo a confecção de uma cartilha, a fim de utilizar em programas de Educação Ambiental e de capacitação no meio rural. Para esse programa buscamos inicialmente o apoio da Prefeitura de Camaquã e AUD, especialmente na sub bacia do Arroio Duro, para poder posteriormente levar aos Municípios do Médio Camaquã, onde foi diagnosticado os maiores problemas com intenso assoreamento dos cursos de águas.

Nas próximas reuniões do Comitê Camaquã, está previsto a discussão sobre os projetos de mineração e o problema com a barragem de rejeitos existente no Alto Camaquã e que foi citado no diagnóstico do Plano de Bacia como preocupante. Aos poucos serão incorporadas novas ações, mas isso será assunto para os próximos textos, continuem nos prestigiando.

deixe seu comentário