Colunistas
Em memória - Renato Zenker - Meio Ambiente
Por Em memória - Renato Zenker - Meio Ambiente
Engenheiro Agronomo e Secretário Municipal do Meio Ambiente de Camaquã

O sumiço das abelhas

Publicado: 11/09/2017 às 13:53 | Fonte: Renato Zenker / Colunista

Recentemente a Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Irrigação (SEAPI), lançou uma campanha de combate à mortandade de abelhas no Rio Grande do Sul e durante o Seminário Estadual de Apicultura e Meliponicultura que se desenvolveu no Município de São Gabriel, foi muito discutido o fato de em 2015 ter desaparecido no Estado cerca de 250 mil colmeias. Segundo o coordenador da Câmara Setorial da SEAPI, Nadilson Ferreira, essa perda ainda persiste na proporção estimada de 30% a 40% do total de colmeias por ano no Estado. Ferreira ainda aponta “ a maior probabilidade é de que as abelhas estejam morrendo em função do uso de agrotóxicos”, isso foi publicado no Correio Rural de 24 de julho de 2017.

Ao mesmo tempo que se deve louvar uma iniciativa como esta do Seminário, deverá se ter em mente que a situação atual do sumiço das abelhas é terrível e angustiante, em vista que grande parte da produção de alimentos depende das abelhas de todas as espécies, aliás essa questão não é nova, Einstein que era Cientista, Físico e renomado Matemático, não cansava de dizer “se as abelhas desaparecerem do Planeta o homem viverá apenas 4 anos”.

Nesse sentido também Paulo Nogueira Neto escreveu um dia, ele que foi o primeiro Secretário de Meio Ambiente do País, professor Emérito do Instituto de Biociência (IB) da Universidade de São Paulo (USP), um dos maiores especialistas em abelhas sem ferrão do mundo, “ as abelhas são responsáveis por uma atividade que os humanos não fazem sozinhos, elas tratam da reprodução das plantas”. As abelhas visitam flor a flor para a busca do pólen e acabam proporcionando os cruzamentos que geram os frutos e as sementes , que por sua vez, propagam as espécies vegetais e possibilitam todos os benefícios para a Natureza.

Esse fenômeno que está acontecendo com as abelhas certamente não é só do nosso País, segundo as notícias que tem chegado da ONU (Organização das Nações Unidas), está se esparramando pelo Planeta. Para identificar os motivos da mortandade das abelhas será necessária uma pesquisa bem complexa, mas certamente que entre as razões mais prováveis seriam o desmatamento indiscriminado, as mudanças climáticas causadas pelas atividades humanas e o uso incontrolado de venenos na agricultura que são derramados nas lavouras e impregnan o solo, a água e a atmosfera. Fala-se em 8 litros de venenos (defensivos) por habitante ano utilizado no Brasil.

Nessa questão, todos podem colaborar, basta plantar árvores que as abelhas visitam com intensidade, são várias espécies nativas que podem ser identificadas com uma simples observação. Não podemos esquecer que grande parte da produção de alimentos depende das abelhas, pensem nisso.