Colunistas

O Grande Debate

17/10/2020 - 11h:02min
Danilo Beltrami - Panorama Geral

Na última quinta-feira o Clic Camaquã organizou um encontro entre os candidatos a Prefeito do Município de Camaquã (Fúlvio Sans Lessa da Rosa, Ivo de Lima Ferreira,  Jorge Alberto Duarte Grill e Marcelo Lampe Gouvea) e, naturalmente, com a credibilidade que é própria deste órgão de imprensa comandado pelo Jornalista Eduardo Costa, com a absoluta presença dos prefeituráveis à Municipalidade Camaquense no primeiro embate público. Felizmente tivemos um encontro de alto nível, o que não afastou alguns ataques entre determinados candidatos, mas nada além do normal, o que o eleitor desejava.

O número de pretendentes à Chefia do Poder Executivo local é razoável, são quatro, aspecto que propiciou de forma favorável a organização do evento, como se sabe, nos Municípios maiores, como a Capital Gaúcha, por exemplo, a quantidade é bem maior, muitas vezes com critérios pré-definidos, contemplando a participação de um percentual reduzido de políticos na disputa pelo cargo. O relevante é que tiveram a oportunidade de explanarem suas ideias e projetos através de temas previamente definidos e livres, sem contar o tempo destinado as considerações finais.

Adentrando no mérito do debate propriamente dito, as manifestações dos candidatos foram de propostas, mas não foi só, também ocorreram trocas de acusações, como disse anteriormente, não chegaram às raias da ofensa pessoal, absorvidas, respondidas por um e por outro no decorrer do tempo destinado as respostas dos questionamentos havidos entre os debatedores.

Neste andar, chamou a atenção alguns dos temas tratados no evento, principalmente aqueles dirigidos ao candidato à reeleição (atual Prefeito), como endividamento do Município com financiamentos e junto ao FAPS (Fundo de Aposentadoria e Pensão do Servidor), enfim, valores que ficariam para o próximo mandatário e dificultariam a administração vindoura. Neste caso não há dificuldades em saber no futuro se procedem ou não, trata-se de matéria contábil, afeita a documentos e cálculos, aliás, cada novo Mandatário que toma posse como Chefe do Poder Executivo camaqüense refere dívidas, débitos em aberto relativos à gestão anterior, os munícipes (notadamente aqueles com pouco conhecimento a adentrar, compreender o portal da transparência) sempre ficam em dúvida, pois nunca são efetivamente esclarecidos publicamente.

O importante é que os candidatos tiveram uma excelente oportunidade para apresentarem seus programas de governo, suas posições quanto aos assuntos tratados, ficando a cargo de cada eleitor fazer a sua avaliação que culminará no voto no dia 15 de novembro próximo. A obrigação dos meios de comunicação é propiciar ao público programação que elucidem o cidadão, do que o Clic Camaquã desemcumbiu muito bem.

Pensamento: “Na vida real, campanha é um a coisa, governo é outra”. Élio Gaspari

 

deixe seu comentário