Colunistas

Meninas vestem rosa; Meninos vestem azul

10/01/2019 - 15h:33min
Nelson Egon Geiger

Veja-se bem: a Ministra Damares não proferiu a frase, que finalizou sua entrevista como determinação Ministerial. O que, aliás, nem mesmo caberia. O que expressou isto sim foi sua posição pessoal com relação à licenciosidade que toma conta de modo geral. Não apenas no Brasil, como de resto em todos os países do mundo livre. Digo do mundo livre, porquanto em países que não têm democracia plena e a Coréia do Norte é um exemplo, as liberdades pessoais, inclusive na área individual sofrem diretamente intervenção estatal. O que aqui não ocorre.

Também em países que vinculam à religião do Estado, como em alguns, também certos direitos, que temos em total plenitude no Brasil culminam em ter ceifada a liberdade de opção pessoal de gênero.

A Ministra tem ampla trajetória diretamente ligada ao mundo político, porquanto foi assessora parlamentar, inclusive na área jurídica, do Congresso Nacional por cerca de 20 anos. Além de formada em Direito também possui outras faculdades. Como psicologia. Pessoalmente participou de diversas ONGS. Trabalhou com viciados e drogados; crianças abusadas sexualmente; adoção e causas indígenas.

Desta última restou-lhe uma filha adotiva. Demonstra com isso, desprendimento e simpatia pelas causas humanas. Foi a Ministra certa para o Ministério no qual foi empossada pelo Presidente Jair Bolsonaro. A Ministra que também é Pastora Evangélica talvez tenha sido a melhor escolha para o cargo que ocupa.

Seu pronunciamento foi exemplificativo e aponta para sua ideologia. Sem ferir direitos humanos de ninguém, ao reconhecer que o Brasil é um Estado laico e, por tal, a liberdade religiosa é total. Como a liberdade civil.

Cada um tem o direito de fazer o que quiser com sua trajetória pessoal, desde que não ilícita. A vida sexual de cada um é problema seu. Desde que não queira impor aos outros. Afinal, o livre arbítrio foi dado por Deus ao ser humano. O que o Criador não admite em seus mandamentos é que uns homens desviem outros. A Ministra tão somente expôs seu pensamento como cristã. Nada de mais justo e de mais político. Portanto, não errou ao expressar suas preferências pelas cores.

deixe seu comentário