Colunistas

Entre o bem e o mal

04/10/2018 - 14h:11min
Nelson Egon Geiger

A Bíblia nos conta a trajetória do povo de Deus. Iniciando no seu 1º Livro, o Gênesis, com a criação do mundo e os primeiros passos para separar as trevas e a luz; a criação do homem e o início de sua saga. O Gênesis é o Livro inicial dos cinco que compõem o Torá para o Povo Judeu. Ou como também se chama o Pentateuco. Todos atribuídos a Moisés.

O 6º Livro é o de Josué, irmão daquele e quem conduziu o povo de Israel até sua terra destinada por Deus. Seguem-se todos os demais livros do Velho Testamento que se encerra com o Livro de Malaquias.

Na seqüencia inicial, após os cinco do Pentateuco e o de Josué, vem o Livro dos Juízes. Nesse Livro os episódios narrados dão conta que, entre outros Juízes, após Gideão e Tolá, sobreveio JAIR o qual julgou Israel por 22 anos (Juízes, 10,3 – 4 – 5). JAIR era homem do bem. Deixou uma descendência de 30 filhos.

Dos Juízes o mais famoso foi Sansão, em razão de seus feitos valentes narrados no referido Livro. A luta com um leão sem qualquer arma; a destruição do exército dos Filisteus com uma simples queixada de burro; a tirada das portas de Gaza. Sobre JAIR existem apenas três versículos. Mas se sabe que era homem do bem e que defendeu o povo de Deus.

Em outro Livro (I Reis, 11,25) existe a menção de que se insurgiu contra Salomão, um tal de HADADE. Detestava Israel e reinou sobre a Síria. Havia se levantado contra Salomão. Como consta emI Reis, 11, 19, HADADE foi protegido pelo Faraó, cuja cunhada se casou com aquele. E durante todo reinado do mais sábio dos reis, HADADE foi adversário do povo de Deus. Era homem do mal.

Desta maneira na trajetória humana, os registros escritos dão conta de homens do bem e outros do mal. E não se diga que a história aqui foi escrita pelos vencedores, porquanto o povo de Deus, descendente de Abraão, Isaque e Jacó, este cujo nome depois foi dado para todo o povo, muito sofreu. Embora vencedor algumas vezes; outras tantas foi vencido.

Retido no Egito culminou em ser um povo escravizado. Libertado de cerca de mil anos depois foi novamente escravizado por Nabucodonosor II e levado para a Babilônia (587 A. C). Novamente libertado, no ano 70 de nossa era foi outra vez expulso de seu país pelos romanos. Apenas voltando a partir de 1948, quando a ONU garantiu o Estado do Israel na Assembléia Geral realizada em 1947, presidida pelo gaúcho Osvaldo Aranha, na época Chancelar do Governo Dutra. Assim que, na História do Povo de Deus, desde o começo houve homens de bem, como JAIR e outros do mal, como HADADE. Como em todos os outros povos existem.

deixe seu comentário