Campo em Dia

"É a oportunidade de ajudar os produtores”, afirma Rodrigo Machado sobre a presidência do Irga

Neste sábado (18) o novo presidente do do Instituto Rio Grandense do Arroz participou do programa Controle Geral na ClicRádio e falou sobre as expectativas para a gestão do instituto
Por: Sabrina Borges | Publicado: 19/09/2021 às 17:13 | Alterado: 26/09/2021 às 12:50 | Fonte: Colaboração Elias Bielaski/ Governo do RS

O programa Controle Geral deste sábado, dia 18 de setembro, contou com a participação do novo presidente do do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga).  Rodrigo Machado foi nomeado oficialmente presidente do instituto na quinta-feira (16/9). 

O presidente contou que há alguns meses atrás o antigo presidente do Irga optou por sair do instituto para se dedicar a projetos pessoais. Depois disso, Rodrigo foi convidado a assumir a presidência do instituto. 

“Eu me criei em lavoura de arroz, então é uma oportunidade de tentar ajudar os produtores”, comentou. 

Durante a solenidade, realizada na quinta-feira (16) o governador fez um anúncio histórico pela cadeia produtiva: uso integral da taxa de Cooperação e Defesa da Orizicultura (CDO) no próprio Irga.

Concorra a um rancho do Macro Atacado Krolow <

“Anunciamos hoje o novo presidente do Instituto Rio Grandense do Arroz, Rodrigo Machado. Ele terá nas mãos o desafio de gerir um novo momento muito esperado pelo setor: 100% da taxa CDO estará à disposição para investimentos no setor arrozeiro, já garantido para 2022. Foi um dos compromissos que eu assumi com a cadeia produtiva e que estamos cumprindo, assim como asseguramos que o porto do Rio Grande tenha um espaço adequado para o escoamento da produção orizícola, com o novo terminal logístico do arroz”, anunciou o governador.

A CDO é paga pelos arrozeiros, mas o montante, há anos, entrava no caixa único do Estado e, com isso, parte do valor não era revertida para o instituto.

Com a mudança, o IRGA será fortalecido e, consequentemente, todo o setor produtivo também.

Receba as notícias do Clic pelo WhatsApp <

“Este anúncio só está sendo possível hoje, porque fizemos um plantio de outra natureza, uma semeadura feita com muito esforço e dedicação ao longo desses dois anos e nove meses da nossa gestão, com reformas estruturantes, redução de despesas e iniciativas até amargas. Mas que, agora, está nos possibilitando essa colheita importante, podendo repassar a CDO diretamente para o Irga. Agora, e trabalharmos todos juntos, Irga, a Secretaria da Agricultura e entidades do agro, para direcionarmos estes recursos para onde é mais necessário, de forma que impactem da melhor forma possível no setor, garantindo irrigação, promoção a pesquisa e desenvolvimento da cadeia produtiva do arroz, aumentando a produtividade e a competitividade do RS”, complementou Leite.

A presidência do Irga estava vaga desde início de junho, quando o agrônomo Ivan Bonetti deixou o cargo.

Na próxima semana, deve ser empossada a nova diretora técnica, Flávia Tomita, completando a diretoria do instituto.

Inscreva-se no canal do Clic no YouTube <

O diretor administrativo, Eduardo Fortes Milani, e o diretor comercial, João Batista Camargo Gomes, completam o primeiro escalão da entidade.

“A produção arrozeira tem uma imensa importância para o RS, pela renda e empregos que gera não só no campo, mas na indústria e nos serviços também. O Irga tem um papel fundamental, por meio dos seus extensionistas, técnicos e pesquisadores. Me sinto honrado em ser escolhido como presidente e, além de agradecer, quero dizer que a nossa diretoria vai trabalhar muito para tornar o instituto cada vez mais relevante para o Estado”, afirmou Machado.

A secretária da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Silvana Covatti, destacou que a diretoria do Irga terá todo o seu respaldo a fim de consolidar a reestruturação do instituto e implementar as transformações necessárias.

“O Instituto Rio Grandense do Arroz requer um olhar especial e temos que dar uma resposta com celeridade a este setor tão importante. Nosso Irga merece ser fortalecido, assim como os servidores do instituto merecem uma maior valorização e melhores condições de trabalho. Eles entregam resultados preciosos para o nosso produtor”, ressalta Silvana, ao lembrar que o Rio Grande do Sul responde por cerca de 70% da produção nacional de arroz.

Baixe agora o aplicativo da ClicRádio <

Em relação ao anúncio do repasse da taxa CDO na sua integralidade ao instituto a partir de 2022, a secretária comemorou. “Ajudará o Irga a enfrentar as adversidades e a viver uma nova fase”.

deixe seu comentário