Colunistas

Há um equívoco

09/05/2018 - 13h:51min
Alvorino Osvaldt - Controle Geral

Há um equívoco

É justo que a cada vez que temos a substituição de uma administração seja ela Federal, Estadual ou municipal, se conceda certo prazo para que um novo governo possa implementar o conjunto de princípios, idéias, normas e funções que tem o fim de ordenar a estrutura e funcionamento de uma organização, no caso aqui, o município. Um tempo razoável para que os efeitos comecem a surgir é de meio ano, ou seja, seis meses. Passado este lapso de tempo, algo deve aparecer, ou para melhor, se as medidas estão surtindo efeito, ou para  pior se não. Digo isso porque tenho ouvido frequentemente representantes do órgão municipal se manifestarem culpando a ineficiência da atuação do governo por culpa do anterior. Ora, até pode ser que o governo passado tenha tido lá os seus equívocos, porém, a esta altura do campeonato não há mais que se falar do passado, pois a atual administração já teve um ano e meio para sanar as dificuldades que já devia saber que existiam quando assumiu o poder. Tres meses antes de ascender ao governo, nomeou uma equipe de transição para tomar conhecimento das atividades municipais e quando foi empossado devia ter implementado as modificações necessárias. Desta forma, acredito haver um equivico, já não é mais possível culpar o governo anterior por deficiências que poderiam ter sido corrigidas pelo atual.

Mudanças no trânsito

Conversamos no Controle Geral com o Diretor de Trânsito do município  Carlos Eduardo Guaspari. O Diretor informou que nos próximos dias deverão ser implementadas modificações no trânsito da Rua Prof. Luiza Maraninchi, que voltará a ter duplo sentido. A Manoel da Silva Pacheco também terá alterações já autorizadas pela comissão. Em breve também poderemos ter mudanças na Rua Antônio José Centeno.  Quanto ao estacionamento rotativo o Governo já enviou para a Câmara alteração de artigo da Lei que estava incompatível com a possibilidade de implantação. Logo que a Câmara aprove as alterações teremos a implantação, segundo Guaspari.

Ceee fiscaliza suspeitos de “Gato”

Após muitos avisos de que roubar energia elétrica é crime,  a CEEE passou a agir contra os que a utilizam ilegalmente no município e na semana passada 78 consumidores foram investigados em Camaquã. Destes, apenas 4 tiveram de responder  processo junto a justiça sobre a incongruência existente entre o consumo e a conta. Felizmente o número é pequeno levando em conta a quantidade de pessoas que foram fiscalizadas. Mas fica o alerta!    

Prá você pensar:

“Não há equívoco maior do que confundir homens inteligentes com sábios”. (Francis Bacon)

deixe seu comentário